Polícia prende dois suspeitos pela morte do taxista em Chapecó

Polícia prende dois suspeitos pela morte do taxista em Chapecó

18 de outubro de 2016 Off Por Chapecó



  • Chapecó – A Polícia Civil através da DIC/FRON – Divisão de Investigação Criminal, com apoio da Polícia Militar guarnição da ROCAM – Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas, cumpriram na tarde desta terça-feira, 18, mandados de busca e apreensão dos suspeitos de praticarem o latrocínio do taxista José Cesar Zanchet, morto na última quinta-feira (13), em Chapecó, enquanto trabalhava.

    Em entrevista, o coordenador da DIC/Fron, delegado Dr. Fábio Baja, disse que um dos autores o Mateus Abel Alves Maia, 18 anos, (71 passagens), foi preso pela ROCAM, na região do bairro São Pedro em um bar jogando cartas. Já um menor de idade foi detido durante o comprimento de buscas. O outro menor está foragido.

    O menor apreendido foi conduzido ao Centro de Atendimento Socioeducativo Provisório (Casep) e o maior encaminhado ao Presídio Regional de Chapecó, onde permanecerão a disposição da justiça.

    O crime, segundo apurou a investigação, os autores estavam na Avenida São Pedro e naquela noite, eles tentaram abordar outros dois taxistas que não aceitaram fazer a corrida, até chegar na Avenida Getulio Vargas, onde a vítima José Cesar Zanchett aceitou fazer o trabalho.

    Baja, relatou que segundo provas existenciais, a partir do início da corrida, o taxi seguiu pela Nereu Ramos e não parou até chegar na Sede Trentin, onde a vítima foi assassinada com requintes de crueldade, ou seja a pedradas.

    O delegado destacou a rapidez com que o caso foi esclarecido. Segundo ele que trabalhou ininterruptamente no caso, a investigação e elucidação foi concluído em menos de 48 horas.

    “Eu representei ainda na sexta-feira (14), pela busca e apreensão e detenção dos suspeitos. A decisão saiu hoje e imediatamente cumprimos as buscas. Infelizmente não conseguimos localizar o terceiro suspeito, que é considerado foragido. Mas nós vamos buscar ele”, destaca.

     

    Fonte: Cidadão no Comando