Divulgação da Campanha Nacional de Vacinação é realizada em escolas chapecoenses

Divulgação da Campanha Nacional de Vacinação é realizada em escolas chapecoenses

27 de abril de 2017 Off Por Chapecó



  • As escolas municipais, estaduais e particulares de Chapecó estão recebendo ações de divulgação e orientação da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza que segue até o dia 26 de maio. As equipes de saúde estão visitando as escolas e distribuindo materiais informativos sobre a gripe e meningite, com a colaboração das Agentes Comunitárias de Saúde. O objetivo da ação é orientar os pais e professores quanto a prevenção destes agravos, principalmente no período do inverno.

    Nilvada Biazotto é a gestora do Centro de Educação Infantil Municipal Pequeno Principe de Chapecó. Segundo ela, a vacina para os professores é um passo na prevenção, pois eles estão diariamente em contato com as crianças. Importante também, segundo ela, a conscientização das famílias, para realizar as vacinas e manter atualizada sempre as carteirinhas. “Os professores trabalham com as crianças a importância da higiene, uso do álcool em gel para limpar as mãos e manter as salas ventiladas, enfim, todos os cuidados para ter uma boa saúde”, esclareceu.

    A coordenadora do Centro de Saúde da Família Chico Mendes do bairro Presidente Médice Láisa Jantsch Bandeira acompanhada pela Agente Comunitária de Saúde Lainice Bortolini visitaram a escola nesta quinta-feira (27). Elas levaram informativos para os professores e cartazes para os murais da escola sobre gripe e meningite, com a intenção de alertar a comunidade sobre os cuidados. “Importante os professores e a escola estarem orientados sobre as campanhas de vacina, já que trabalham diariamente com as crianças e elas são um dos grupos da campanha”, enfatizou Láisa. Segundo ela, em alguns períodos do ano, mais frequentemente no inverno ou em períodos mais frios, podem ocorrer surtos de alguns agravos. As crianças estão mais suscetíveis as infecções, especialmente em ambientes escolares, onde o risco está associado às características ambientais e aos hábitos que facilitam a disseminação de doenças.

    De acordo com a enfermeira e coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Chapecó, Karina Giachini, diante destes agravos de saúde pública e pensando em informar os professores e alunos, o setor de Vigilância em Saúde, através da Vigilância Epidemiológica, orienta sobre as medidas simples que poderão ser adotadas a fim de prevenir a transmissão destas doenças. As medidas são simples e quando instituídas promovem um ambiente escolar mais seguro e saudável:

    • Solicitar carteira de vacinação dos alunos e conferir se as doses estão em dia.
    • Higienização das mãos é uma medida simples e preventiva na disseminação de doenças, antes de lanchar, após uso do sanitário, após brincar, tossir e espirrar.
    • Reforçar sempre que possível que crianças doentes não deverão ser deixadas na escola, pois trata-se de um ambiente coletivo e seu afastamento durante esse período diminui a chance de transmissão de doenças para as outras crianças.
    • Manter os ambientes ventilados, arejados e limpos, evitando aglomerações. Evitar ar condicionado.
    • Disponibilizar equipamentos de proteção individual para todos os colaboradores.
    • Colchões e travesseiros deverão ter revestimento impermeável que facilite a limpeza e desinfecção com álcool 70% a cada turno, ou após o contato com fluídos corpóreos.
    • Protocolo para higienização dos brinquedos. Os brinquedos deverão ser de material de fácil limpeza e desinfecção.
    • Banheiras deverão ser higienizadas com água e sabão após cada uso, depois de secas deverá ser aplicado álcool 70% com papel toalha.
    • Utilizar dispensadores de álcool gel.
    • Os bebedouros deverão ser lavados diariamente com água e sabão e as crianças orientadas a não tocar com a boca no bico ejetor de água dos bebedouros;
    • Ao entrar em contato com pessoas contaminadas é importante realizar uma avaliação médica.
    • Etiqueta da tosse: cobrir a boca quando tossir, espirrar, realizar higiene nasal com um lenço de papel e jogar este na lixeira.
    • Participar das campanhas de vacinação.

    Campanha de Vacina

    A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza que segue até o dia 26 de maio. O Dia D será dia 13 de maio (sábado). Karina explica que o público alvo da campanha são os idosos, gestantes, puérperas até 45 dias após o parto, crianças de 06 meses a menores de 05 anos, profissionais de saúde, adolescentes e jovens entre 12 e 21 anos sob medida socioeducativa, portadoras de doenças crônicas não transmissíveis, população indígena, funcionários do sistema prisional e professores das escolas públicas e privadas.

    Karina comenta ainda que em 2017 a vacina será oferecida somente nos 26 Centros de Saúde da Família, para garantir qualidade no atendimento ao público. Além disso, para registrar as doses no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização. Outro objetivo, segunda Karina, é que a população possa atualizar o esquema vacinal. “Além da vacina da Influenza será intensificada a vacina contra o tétano, mas todo o calendário vacinal poderá ser atualizado”, comentou. Importante, segundo ela, levar até o posto de saúde, a carteira de vacina, para verificar a situação vacinal e colocar todo o esquema vacinal em dia. Karina destaca que quem não tiver ou perdeu a carteira de vacina, também deve procurar o posto de saúde. É importante também levar o Cartão Nacional do SUS. “Quem não tem, deve levar o comprovante de residência que o cartão é feito na hora”, explicou Karina.

    A enfermeira destaca ainda que a meta é vacinar 90% do público alvo que é de 60 mil pessoas em Chapecó. Segundo ela, as orientações à população são de que fiquem atentos aos sintomas: febre alta, dor no corpo, mal estar, tosse, espirro… No geral os sintomas são os mesmos da gripe convencional, porém, mais intensos. Em caso de dúvidas procurar a unidade de saúde mais próxima.

    Mais dicas:

    • Manter os ambientes ventilados
    • Lavar bem as mãos
    • Uso do álcool em gel
    • Uso de copo individual ( em escolas e locais de grande circulação de pessoas)
    • Ter hábitos de vida saudável: praticar atividades físicas, alimentação balanceada e tomar bastante líquido.
    • Etiqueta da tosse: ao tossir ou espirrar, usar o braço e não as mãos.
    • Não se medicar… Em caso de sintomas, procurar atendimento médico, na unidade de saúde mais próxima.

    Gripe em Chapecó

     

    GruposPopulaçãoDoses aplicadasCobertura
    Crianças 06 meses a 02 anos49104459,06
    Crianças 02 à 04 anos75744505,94
    Trabalhadores da saúde58182724,68
    Gestantes24551978,02
    Puérperas4044511,14
    Indígenas1338020,15
    Idosos15758708444,95
    Pessoas com comorbidades13130264020,11
    Professores57131192,08
    Privados de liberdade180092051,11
    Funcionários sistema prisional321041,25
    Total592211217821,00%

     Orientações

    • Levar a carteira profissional ou crachá que comprove que o profissional trabalha na área de saúde;
    • Portar documento de identificação;
    • Apresentar o Cartão Nacional do SUS, ou algum documento que contenha o seu número;
    • Caso não possua o Cartão Nacional do SUS, dirigir-se ao balcão do Centro de Saúde da Família para providenciar;

    Apresentar prescrição médica (doentes crônicos não cadastrados em nenhum programa de controle de doenças crônicas do Centro de Saúde da Família).