Mutirão de Combate: Prefeitura e entidades programam mutirão contra o Aedes Aegypti

Mutirão de Combate: Prefeitura e entidades programam mutirão contra o Aedes Aegypti

2 de agosto de 2017 Off Por Chapecó



  • A Administração Municipal e entidades realizam na sexta-feira (04) um Mutirão de combate ao mosquito Aedes Aegypti em Chapecó, visando somar forças para limpeza urbana e sensibilização das pessoas, mobilizando para uma faxina e combate ao mosquito. Em Chapecó as ações não param durante o inverno e não são realizadas apenas no verão quando a situação fica mais preocupante. A ação desta sexta-feira (04) estará focada na região do Santa Maria, devido aos índices, indicadores e dados da região.

    Os indicadores da região de abrangência do Centro de Saúde da Família do bairro Santa Maria, nos meses de maio, junho e julho de 2017 apontam 09 focos; 11 focos encontrados em construções abandonadas; 114 focos em caixas de água sem cobertura; 13 calhas entupidas; 52 cisternas abertas; 5 lajes com acumulo de água; 26 locais com lixo a céu aberto; 13 piscinas sujas ou com larvas; 14 locais com terrenos em locais incorretos e 13 terrenos com lixo.

    A bióloga da Agência de Desenvolvimento Regional Deyse Angelini comentou que em 2016 foram registrados 6.018 focos do mosquito em 129 municípios catarinenses e que, em 2017, esse número já está próximo aos 8 mil focos em 135 municípios. “As atividades de conscientização e visitas frequentes das equipes tiveram resultados, porém ainda a população precisa ficar atenta, pois o número de focos cresceu e isso é preocupante. Este ano ainda não tivemos casos da doença pela característica cíclica que ela apresenta, diferente do que foi em 2016 quando ocorreu um pico epidêmico”, afirma.

    Dados

    Em Chapecó, em 2016 foram registrados 514 focos do mosquito e em 2017, esse número é de 439 focos. Os pontos estratégicos (floriculturas, borracharias, ferro-velhos…) são os que apresentam os maiores focos, seguidos por calhas, caixas de água e cisternas mal condicionadas, lixo em locais impróprios e terrenos baldios sem o devido cuidado. A situação epidemiológica em Chapecó também foi abordada. Em 2016 foram investigados 3.128 casos de dengue, com confirmação de 820 casos. Já em 2017 esse número é de 438 casos negativos com uma confirmação importada. Os números de chikungunya também foram relembrados. Em 2016 foram investigados 166 casos, com confirmação de quatro casos. Em 2017, foram investigados oito casos e dois foram confirmados de pessoas que viajaram. Os casos de Zika registrados em 2016 foram 38 casos e 03 positivos. Em 2017 foram investigados dois casos.

    Entidades e empresas parceiras

    • Hospital Regional Chapecó/Unimed Chapecó: Ações de conscientização com os funcionários e pacientes. Haverá distribuição de materiais informativos.
    • Coordenação Atenção Básica (Agentes Comunitárias de Saúde): Ações de conscientização e informação sobre cuidados para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti em toda a cidade. Farão distribuição de material informativo nas saídas e entradas da cidade (Saída para Seara, Saída para o RS, Saída para BR 282 – Próximo ao shopping, Saída para Planalto Alegre – Efapi).
    • Vigilância Sanitária: Trabalho de orientação e autuações nos locais onde existem criadouros do mosquito Aedes aegypti.
    • Polícia Militar e Guarda Municipal: Garantir a segurança para nos locais mais críticos onde há locais com possíveis criadouros do mosquito. Auxiliarão as ações de entrega de material informativo nos pontos de saída e entrada da cidade. (Saída para Seara, Saída para o RS, Saída para BR 282 – Próximo ao shopping, Saída para Planalto Alegre – Efapi).
    • Aurora Alimentos: Orientação e conscientização dos funcionários com distribuição de material informativo.
    • Polícia Militar Ambiental: Educação ambiental, abordando o tema da Dengue, Zika Vírus e Chikungunya para jovens do município e região.
    • Deinfra/Serviços Urbanos: Recolha de lixos que possam acumular água no dia do mutirão no CSF Santa Maria.
    • CRAS dos Bairros Líder, Efapi, Cristo Rei, Marechal Bormann: Orientações e sensibilização dos grupos atendidos no CRAS, com distribuição de material informativo.

    Lixo e Reciclagem

    Resíduos recicláveis são: garrafas pet, embalagens, papel e papelão, alumínio, sacolas plásticas, caixas de leite e vidros.

    Resíduos orgânicos são: restos de frutas, verduras, legumes e alimentos, papéis higiênicos, fraldas, guardanapos, esponjas, materiais que se decompõem.

    O óleo de cozinha deve ser acondicionado em embalagem pet e deve estar bem fechado. Deve ser levado até as Feiras Livres realizadas em Chapecó ou ainda ser depositado na lixeira do seletivo. Esse material é encaminhado ao Verde Vida, que faz sabão ou biocombustível.

    A Gerente de Resíduos Sólidos Vanuza Maggioni, falou que em Chapecó são recolhidas em média 30 cargas de galhos por dia, duas cargas de entulhos e resíduos volumosos diariamente, cerca de 130 toneladas de resíduos orgânicos e 24 toneladas de lixo reciclável que são enviadas as associações de catadores, que fazem a triagem, separação e comercialização dos materiais.

    Ecoponto

    O Ecoponto dos pneus está localizado na Rua Israel, 240, Bairro Presidente Médici. Atende nas segundas e quartas-feira, das 08 às 11h30 e das 13h30 às 17 horas. Já o Ecoponto, para recebimento de resíduos volumosos, está localizado na Secretaria de Serviços Urbanos e Infraestrutura, Rua Sete de Setembro, nº 2063-E, também no Presidente Médici, próximo à UPA 24horas, e funciona das das 7h às 13hs. No espaço estão dispostos quatro containers para receber:

    • Poda e capina (grama, galhos, poda, capina, roçada);
    • Eletroeletrônicos (computadores, notebook, celular, monitor, televisor, pilhas e baterias. Deverão estar inteiros);
    • Eletrodomésticos, metais e ferros (geladeira, fogão, máquina de lavar, micro-ondas, cadeiras de metal, estantes de metal, latas de tintas);
    • Móveis (sofá, guarda-roupas, mesa, cadeiras de madeira, colchão, tábuas. Os móveis devem estar desmontados).

    Não são recebidas peças automotivas, materiais contaminados, estopas, lâmpadas, material hospitalar, pneus, entulhos e materiais de construção. Com relação aos móveis, devem ser desmontados antes do descarte, ao contrário dos eletrodomésticos e eletroeletrônicos, que devem estar inteiros.

    Dicas de prevenção

    • Cuidado especial no armazenamento e destinação do lixo, mantendo-o em recipiente fechado e disponibilizando-o para recolhimento pela Limpeza Urbana na frequência usual;
    • Jamais descarte o lixo ou qualquer outro material que possa acumular água no quintal de casa, no quintal de vizinhos, na rua ou em lotes vagos;
    • Mantenha a caixa d’água sempre limpa e totalmente tampada;
    • Mantenha as calhas livres de entupimentos para evitar represamento de água nas mesmas;
    • Elimine os pratinhos de vasos de plantas; caso não seja possível mantenha-os limpos e escovados pelo menos três vezes ao dia;
    • Mantenha limpos e escovados os bebedouros de animais domésticos; a água deve ser trocada diariamente;
    • Mantenha piscinas sempre em uso e devidamente tratadas;

    • Atenção especial ao sair de férias para que esses cuidados estejam garantidos na ausência do morador.