Morre em acidente suspeito de estupro em Pinhalzinho

Morre em acidente suspeito de estupro em Pinhalzinho

18 de março de 2016 Off Por Chapecó



  • Um grave acidente de transito, envolvendo uma Saveiro e um Fiesta foi registrado na tarde de ontem (17), em Pinhalzinho. A ocorrência foi registrada na BR 282, próximo ao Posto Minuano.

    O que chama atenção nesse episódio, foram as informações levantadas com exclusividade pela reportagem da Rádio Nova FM sobre o caso. A vítima fatal da colisão, Claudio José Cavalcanti, 44 anos, morador do Bairro Bela Vista em Pinhalzinho, era um dos suspeitos pela morte da jovem Luciane Zwirtes, que foi estuprada e morta em dezembro de 2013.

    Popularmente conhecido como “Zóio de Sapo”, o suspeito estaria em liberdade provisória, segundo fontes extra oficiais, desde o final de 2015.

    Ontem ele era o condutor do veículo Fiesta que foi colidido por uma saveiro de Águas Frias, na BR 282.
    Ele morreu poucos minutos após o acidente.

    Relembre o caso

    Um crime bárbaro chocou a comunidade de Pinhalzinho e de toda a região neste domingo (8/12/13). Por volta das 11h, um policial encontrou o corpo da jovem de 17 anos, Luciane Zwirtes, às margens da via paralela a BR-282, em Pinhalzinho.

    A adolescente, que havia saído de casa por volta das 23h de sábado, deveria retornar às 3h. Como não voltou, ela era procurada pela família e pela Polícia Militar desde a madrugada.

    Ela estava escondida em meio a um capim alto. A vítima tinha lesões no rosto e estava nua.

    Por volta das 20h30, após realizar exames no corpo, o IML de Chapecó confirmou que Luciane morreu vítima de um trauma raquimedular, ou seja, teve o pescoço quebrado. Ela também foi abusada sexualmente e tinha ferimentos no rosto.

    Dias após o crime foi efetuada a prisão do primeiro suspeito do crime A.J.J., vulgo “Toco”. Após esta prisão o trabalho de investigação foi intensificado, com colhimento de depoimentos de testemunhas e de análise das câmeras de segurança de empresas da perimetral da BR-282, já que a polícia acreditava que a autoria do crime não fosse de apenas uma única pessoa.

    Através das imagens das câmeras de segurança chegou-se a identificação de um veículo que estava aos arredores do local na mesma hora do crime, e do proprietário. A partir deste momento outras testemunhas começaram a aparecer e confirmaram a presença do veículo com mais dois ocupante, além do proprietário.

    Com esta situação o Ministério Público solicitou a prisão temporária dos três elementos, para que as investigações pudessem fluir com mais tranquilidade. Durante este tempo chegou à confirmação do material genético do primeiro detido. Com a conclusão das investigações e os indícios suficientes das autorias/participação no crime o promotor Volpatto efetuou o adiamento da denúncia do primeiro suspeito, A.J.J., vulgo “Toco”, 38 anos, e dos outros três suspeitos V.J.C., vulgo “Zoio de Sapo”, 43 anos, e dos irmãos C.J.C., vulgo “Nego”, 28 anos, e do J.F.C., vulgo “Veio”, 34 anos. Com isto foi solicitada a prisão preventiva dos quatro suspeitos.

    Os suspeitos estão sendo acusados dos seguintes crimes: homicídio com quatro qualificadoras, estupro qualificado (devido a vítima ser menor de idade) e também por furto qualificado (roubo do celular da vítima).

    Rocheli Poltronieri/ Nova FM

    Foto: Divulgação

    Foto: Divulgação

    Foto: Rocheli Poltronieri/ Nova FM

    Foto: Rocheli Poltronieri/ Nova FM

    Fonte: Cidadão no Comando